Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Seleção de Idioma

Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Internacional

Redação - 31/10/2017

Invista será vendida para gigante chinesa

O acordo com a Shandong Ruyi Investment Holding envolve a divisão de negócios têxteis que detém as marcas Lycra, Coolmax, Supplex, Tactel, entre outras.

A Invista fechou acordo para vender sua divisão A&AT (Apparel & Advanced Textiles), dona de marcas como Lycra, Coolmax, Supplex, Tactel, entre outras, para a gigante Shandong Ruyi Investment Holding, um dos maiores fabricantes têxteis da China, situado entre as cem maiores multinacionais daquele país. O valor da transação não foi revelado pelas duas companhias, que anunciaram o entendimento em comunicados ao mercado. A expectativa é concluir o negócio em meados de 2018.

O prazo depende dos trâmites habituais de transações dessa natureza como análise e aprovação por parte das órgãos regulatórios. Segundo o comunicado oficial, a operação envolve a aquisição de todos os produtos da divisão: fio Lycra, Lycra HyFit, tecido Coolmax, fibra Thermolite, fio Elaspan, tecidos Supplex e Tactel; e a marca Terathane, politetrametileno éter glicol. Também abrange a produção de tetrahidrofurano; as fábricas relacionadas aos produtos adquiridos, centros de pesquisa e desenvolvimento, assim como escritórios de vendas, em todo o mundo. Serão absorvidos pessoal técnico, operacional, comercial e administrativo dessa divisão – em torno de 3 mil funcionários em todo o mundo.



A Invista decidiu concentrar os investimentos no mercado de náilon, poliéster, polióis e as marcas a ele associadas, bem como do Cordura. Ainda manterá os direitos de propriedade intelectual para tecnologia de 1,4 butanodiol (BDO), etrahidrofurano (THF) e politetrametileno eter glicol (PTMEG). Sediada nos Estados Unidos e com receita total avaliada em US$ 4,8 bilhões no ano fiscal encerrado em 30 de junho, segundo a agência Moodys, a Invista é subsidiária integral da Koch Industries, Inc.

O comunicado da Shandong Ruyi afirma que a empresa enxerga a operação “como uma oportunidade de alavancar as capacidades existentes da companhia - incluindo nossas plantas de produção de elastano - para melhorar ainda mais a posição da A&AT no mercado global". A companhia chinesa conta com 13 parques industriais na China e é uma empresa verticalmente integrada que atua na fabricação de têxteis, no comércio, na fabricação e no varejo de vestuário e na produção de algodão e lã.