Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Seleção de Idioma

Segunda-feira, 20 de Novembro de 2017

Canal Digital

Redação - 10/11/2017

Comércio eletrônico cresce na AL

No Brasil os consumidores preferem comprar roupas, sapatos e dispositivos eletrônicos, enquanto na Argentina e no México predominam ingressos e passagens

O comércio eletrônico segue crescendo na América Latina e principalmente no Brasil. De acordo com pesquisa da eMarketer, a porcentagem de usuários de internet latino-americanos que farão pelo menos uma compra online será de 51,1% em 2021. Em 2016 eram 47,2%, e neste ano são 48,8%, sendo que, ao final de 2017, o país com maior índice de compradores online na região será a Argentina (55,7%). O Brasil fechará com 47,7%, mas irá gerar a maior receita de vendas, chegando a US$ 16,05 bilhões.

Os dados da eMarketer também revelam as peculiaridades dos países da América Latina no que diz respeito às tendências de compras e aos métodos de pagamento. No Brasil os consumidores preferem comprar roupas, sapatos e dispositivos eletrônicos, enquanto na Argentina e no México predominam ingressos e passagens. Na hora de finalizar a transação, cerca de 60% dos compradores mexicanos já utilizaram PayPal como forma de pagamento, enquanto no Brasil e, principalmente, na Argentina, o cartão de crédito é o método preferido (77% e 88%, respectivamente).

NOVOS CANAIS DE COMPRA
O smartphone cresceu como ferramenta de compras online: já responde por 20% das receitas do comércio digital latino-americano, segundo estudo da comScore. Embora os usuários de dispositivos móveis gastem mais tempo visitando portais de comércio eletrônico, são os clientes na frente do computador que compram mais.

Ainda de acordo com a comScore, mais da metade dos internautas latino-americanos visita sites de comércio eletrônico. No entanto, no momento crucial da transação, apenas 35% das compras são feitas no ambiente virtual. Ou seja, um dos desafios para os negócios online da região é fazer com que os internautas optem por comprar via web, em vez de ir até uma loja física para adquirir o produto. O custo de entrega é um dos obstáculos para que isso aconteça, já que os pesquisadores da comScore descobriram que três a cada cinco compradores estão dispostos a abandonar a transação quando há uma taxa extra para envio da mercadoria.

A segurança é outro ponto importante. Segundo uma pesquisa da Euromonitor, cerca de 47% dos brasileiros preferem não compartilhar suas informações financeiras em ambientes virtuais, índice que tende a cair com a disseminação das carteiras digitais. O PayPal, por exemplo conta com 7,8 milhões de usuários ativos na América Latina e 3 milhões no Brasil.