Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Selecionar de Idioma

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Negócios

Ana Luiza Mahlmeister - 21/11/2017

Pillerias iniciará distribuição no Brasil

Atacadista de moda infantil que produz no Uruguai e no Brasil apenas para exportação vai ampliar mix para atender também o mercado local

Com fábricas no Uruguai e no Brasil, o atacadista de moda infantil Pillerias vai ampliar a produção local para atender os lojistas brasileiros. A estratégia faz parte do crescimento natural da marca que é mais conhecida em outros países da América Latina, afirma o proprietário Gustavo Scaglia. Com unidade de produção em Santa Luzia, no Uruguai, e em Piratini, no Rio Grande do Sul, a marca atente também a Argentina por meio de um distribuidor.

A entrada no mercado brasileiro começou com uma análise da demanda do público do segmento infantil que é pouco abastecido por peças mais elaboradas em tecidos premium, avalia a empresa. A estreia da marca se deu na edição mais recente da FIT - 50ª Feira Internacional do setor infanto-juvenil, realizada de 3 a 5 de novembro em São Paulo (SP), com boa receptividade dos lojistas e distribuidores. “A partir desse contato estamos analisando o melhor canal para alcançar o mercado local”, afirma Scaglia.

A Pillerias atende entre 250 a 300 multimarcas no Uruguai e também lojas na Argentina. Além desses canais, Scaglia analisa a montagem de um site de comércio eletrônico. A grade da marca vai do recém-nascido ao tamanho 16 para meninos e meninas até 12 anos, com predomínio do jeans na linha de produtos que também inclui malha e tecido plano. De acordo com Scaglia, o diferencial da Pillerias é contar com uma linha mais sóbria e elaborada para crianças, se afastando do estilo popular.

Hoje toda a produção anual de 6 mil peças da fábrica do Rio Grande do Sul é destinada à exportação. “Vamos produzir mais 5 mil peças por ano só para o mercado brasileiro”, afirma Scaglia. Com fábrica no Uruguai desde 1988, o empresário abriu a unidade brasileira em 2008 primeiro em Jaguarão (RS), transferida em 2011 para Piratini (RS) onde está até hoje.