Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Selecionar de Idioma

Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

Varejo

Jussara Maturo - 28/11/2017

Restoque registra prejuízo no terceiro trimestre

Apesar de o faturamento ter subido quase 12%, resultado da holding dona da John John, da Le Lis Blanc e da Dudalina foi afetado pelos custos do fechamento de fábricas

No terceiro trimestre de 2017, a Restoque, que é a holding controladora de sete marcas nacionais, entre as quais John John, Dudalina e Le Lis Blanc, comemorou o crescimento de 11,9% sobre o faturamento em igual trimestre de 2016. A receita líquida da companhia atingiu R$ 316,05 milhões de julho a setembro, com melhoria operacional atribuída a medidas como renovação de estoque de produtos acabados, retomada de lançamentos e gestão mais próxima da rede de lojas, inclusive com acompanhamento online. Contudo, a empresa volta a anotar prejuízo líquido, depois do lucro líquido registrado no segundo trimestre de 2017 – o primeiro em sete trimestres.



As perdas de julho a setembro totalizaram R$ 6,38 milhões, menores que o prejuízo de R$ 8,82 milhões enfrentado no terceiro trimestre de 2016. A Restoque afirma que a margem foi afetada pelo fechamento de duas unidades fabris de costura, cujas atividades foram assumidas por outras três fábricas do grupo, e pela redução da área do centro de distribuição localizado em São Paulo, que foi cortada pela metade. Segundo o relatório da companhia ao mercado, as medidas causaram impactos com rescisões e indenizações trabalhistas, multas contratuais, venda acelerada de estoques antigos.

A Restoque também informa que até o final do ano continuará com a estratégia de reduzir estoques de coleções passadas para que a partir de 2018, os saldos de coleção sejam vendidos no semestre seguinte ao da estação, “garantindo que o ciclo total de venda de uma coleção se limite a um ano”, registra o relatório para investidores que acompanha a divulgação do balanço financeiro da empresa.

TAMANHO DA REDE DE LOJAS E PARTICIPAÇÃO DAS MARCAS
Ao longo de 2017, a Restoque optou por um movimento mais forte de redução da rede de lojas de varejo. Até setembro, foram 34 operações encerradas, permanecendo com 293 pontos de venda, oito a menos do que tinha em junho. A mais afetada foi a rede da Rosa Chá, que teve seis unidades no trimestre, permanecendo com 22 pontos. A Le Lis Blanc encerrou quatro operações, ficando com 99 lojas, ainda a maior rede de varejo da companhia.

Foi fechado também um ponto da John John, que manteve 54 lojas abertas; e outro da Bo.Bô, marca que ficou com 37 unidades. Apenas as marcas do grupo Dudalina expandiram presença no varejo com a abertura de quatro lojas no terceiro trimestre.

Em termos de faturamento bruto, das sete marcas controladas pela Restoque, quatro apresentaram aumento de vendas no terceiro trimestre de 2017 em relação ao mesmo período do ano passado. Dona da maior fatia da receita da holding, a Le Lis Blanc cresceu 22%; a marca Dudalina, a segunda maior da companhia, avançou 17,7%; a John John, a terceira em participação, ampliou as vendas em 25,2%; enquanto a Bo.Bô expandiu 10%.

As três menores marcas da empresa foram as que mais sofreram. Pela ordem de participação na receita, a queda das vendas da marca masculina Individual foi de 13,5%. A Rosa Chá enfrentou redução de 15,5%. E a menor delas, a Base encolheu em mais um trimestre com recuo de 32,5% entre julho e setembro, mostra o balanço financeiro da Restoque para o terceiro trimestre de 2017.