Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Selecionar de Idioma

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

Varejo

Jussara Maturo - 01/03/2018

Riachuelo bate em R$ 2 bilhões no quarto trimestre

E lucro líquido sobe a 30% sobre igual base de 2016, quando teve início o novo ciclo de crescimento da rede varejista

Diante da intensidade forte de vendas dos primeiros meses de 2018, a Riachuelo afirma estar otimista para colher em 2018 resultados melhores que os registrados em 2017. “Desde o quarto trimestre de 2016 a companhia ganhou consistência em construção de coleção, processos logísticos e produtos, galgando degraus a cada trimestre de 2017”, avaliou Túlio Queiroz, CFO da empresa, em conferência com analistas de mercado, para apresentar os resultados do ano passado. No quarto trimestre, pela primeira vez, a companhia ultrapassa receita líquida de R$ 2 bilhões.

O balanço financeiro do período registra R$ 2,024 bilhões, que corresponderam a crescimento de 9,3% sobre o apurado entre outubro e dezembro de 2016. O bom resultado trimestral ajudou a elevar a receita líquida da companhia para R$ 6,44 bilhões em 2017, 8,8% acima do anotado em 2016. O ganho líquido teve expansão ainda mais acentuada. No último trimestre, o lucro líquido saltou 30% sobre igual período de 2016 para atingir R$ 326 milhões. No ano, a Riachuelo acumulou lucro líquido de R$ 570,3 milhões, quase 80% a mais que o apurado em 2016.



Com a retomada das vendas, a empresa ampliou o montante investido em 2017 em relação a 2016, ainda que em patamar abaixo dos R$ 450 milhões inicialmente previstos. Ao longo do ano, foram aplicados R$ 246,8 milhões, ante os R$ 178 milhões de 2016. Do total, R$ 97,3 milhões foram desembolsados no quarto trimestre. A maior parte do investimento se destinou à abertura de lojas. Foram sete inauguradas entre outubro e dezembro, com a rede encerrando o ano operando 302 pontos, 11 a mais do que tinha em 2016.

O balanço da Guararapes Confecções, controladora da Riachuelo, além de outros negócios como a financeira Midway, mostra ainda uma recomposição do quadro de funcionários que foi reduzido em 2016. Fechou 2017 com 38.659 empregados no total. A produção da confecção Guararapes, que sustenta parte do mix de vestuário comercializado pelas lojas Riachuelo, ficou praticamente estável em comparação a 2016, passando para 39,9 milhões de peças em 2017.