Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Selecionar de Idioma

Sexta-feira, 19 de Outubro de 2018

Varejo

Jussara Maturo - 13/03/2018

Marisa freia queda nas vendas

Varejista de moda ainda opera no vermelho, mas, conseguiu reduzir as perdas no ano, especialmente no último trimestre

A receita líquida da Marisa Lojas melhorou em 2017, apresentando pequeno crescimento de 0,8% sobre o ano anterior, para consolidar R$ 2,87 bilhões. No período conseguiu ainda conter as perdas, reduzindo o prejuízo de R$ 88 milhões em 2016 para R$ 60,43 milhões, em 2017. Segundo a empresa em comunicado ao mercado de investidores, o desempenho reflete a estratégia de recuperação gradual dos indicadores. Para 2018, as previsões são comedidas porque a rede de lojas voltou a enfrentar queda no fluxo de clientes entre outubro e dezembro, atribuída à preocupação de suas consumidoras com o fantasma do desemprego, cuja taxa considera ainda estar em patamar elevado.

Além de menos gente disposta a gastar nas lojas, no último trimestre a Marisa verificou que uma das categorias de produtos (não especifica qual) não teve a aceitação esperada. Também enfrentou problemas com a implementação da nova plataforma de ecommerce, que prevê a integração entre a loja virtual e os pontos físicos. Mesmo assim a receita líquida do quarto trimestre ficou praticamente estável. Com aumento de 0,2% sobre igual trimestre de 2016, o faturamento chegou a R$ 835,56 milhões.

A rentabilidade do trimestre foi melhor que ao longo do ano. A Marisa encerrou dezembro com prejuízo de R$ 326 mil, importante redução sobre as perdas acumuladas no quarto trimestre de 2016 de R$ 6 milhões.

O número de lojas em operação também ficou estável com 388 pontos de vendas, o mesmo do início de 2017, quando foi fechada uma unidade no primeiro trimestre. Sobre 2016, corresponde à redução de dez lojas.

A previsão que Marcelo Araújo, presidente da companhia, fez aos investidores quando da apresentação do balanço financeiro é de recuperação gradual com melhores resultados a partir do segundo semestre. Na avaliação dele, as vendas do primeiro trimestre de 2018 foram prejudicadas pelo Carnaval, que este ano foi mais cedo, mas prevê melhora em março com a nova coleção.



NOVO FORMATO DE LOJAS
Como anunciado em dezembro, a Marisa vem testando um novo modelo de loja dentro do projeto que batizou de M2020, pelo qual decidiu setorizar a área de venda em oito categorias, tratadas como se fossem marcas independentes dentro do mesmo ponto de venda. Começou pela seção Marisa Lingerie, implementada em 19 lojas. Na segunda fase, estendeu o piloto para outras 15 lojas incluindo as seções Marisa Jeans e Marisa Movimento. Até maio, esse piloto estará concluído permitindo avaliar a performance desse grupo de 34 lojas de modo a estender o novo modelo para toda a rede.

COLEÇÃO DE OUTONO-INVERNO
Como já fizera em 2017, a varejista anunciou a nova coleção de outono-inverno em 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Agora a cargo da agência África, a campanha reservou os primeiros dias para celebrar as mulheres com a participação da cantora Cláudia Leitte em filmes para a TV. Em seguida, começa a outra parte da campanha para mostrar em comerciais os lançamentos da estação. A divulgação inclui ainda uma ação específica de merchandising no programa Domingão do Faustão, na rede Globo.