Acesse o GBL Jeans

Esqueci minha senha

Cadastro

Selecionar de Idioma

Terça-feira, 17 de Julho de 2018

Internacional

Jussara Maturo - 18/06/2018

Receita da Inditex cresce 1,5% no trimestre

É a menor taxa de expansão registrada pelo gigante espanhol dono da Zara nas últimas duas décadas, mas empresa antecipa melhora nas vendas no segundo trimestre

Ao anunciar os resultados do primeiro trimestre do ano fiscal de 2018, encerrado em abril, a Inditex agitou o mercado. A gigante espanhola dona da Zara e de mais sete outras marcas anunciou que a receita líquida da companhia no período alcançou € 5,65 bilhões (o equivalente a US$ 6,55 bilhões). Ainda que seja uma cifra recorde em qualquer lugar do mundo corresponde, no entanto, a aumento de 1,5% sobre o primeiro trimestre de 2017. É a menor taxa de crescimento dos últimos 20 anos.

O lucro líquido subiu 2,14%, somando € 668 milhões (U$ 776 milhões). Na apresentação de resultados aos investidores, a companhia tratou de antecipar que as vendas melhoraram no segundo semestre, tendo subido em torno de 9% entre maio e junho. Também destacou que a análise deveria considerar que as margens brutas melhoraram, crescendo 3% no trimestre para representar 58,9% das vendas.

O relatório que acompanha os resultados atribui a desaceleração às mudanças severas do clima em diversos mercados, à variação cambial de muitas moedas e aos feriados da Semana Santa. De modo geral, a Inditex continua empenhada no esforço de avançar no comércio eletrônico, informando os estoques das lojas físicas e online foram “perfeitamente integrados”.

AJUSTES NA REDE DE LOJAS
Ao final do primeiro trimestre do ano fiscal de 2018, a Inditex operava 7.448 lojas em 96 países, 63 a mais do que tinha em igual período do ano passado, abertas em 36 mercados. Inaugurou unidades da Zara, da Massimo Dutti, da Oysho, da Zara Home e da Uterqüe. Fechou pontos da Pull&Bear, da Stradivarius e da Bershka pontos de venda de cinco marcas e reduziu a rede das marcas Oysho, Zara Home e Uterqüe.

A Zara é a principal marca do grupo, respondendo por cerca de 60% das vendas do trimestre.
É a marca com maior número de lojas. No final de abril eram 2.132, das quais 71 no Brasil (56 Zara e 15 Zara Home), o segundo principal mercado em número de lojas. O maior é o México com 393 unidades (entre as oito marcas, sendo 83 da Zara) e o único a ter operação online entre os 12 países da América Latina em que a Inditex tem presença.



AMPLIAÇÃO DO PARQUE E NOVAS TECNOLOGIAS
Ainda por ocasião da divulgação do balanço financeiro do primeiro trimestre, a companhia também informou que em maio concluiu a expansão de sua sede em Arteixo, no complexo de La Coruña. No segundo trimestre deverá também inaugurar mais um centro de distribuição, de 90 mil metros quadrados, em Laracha, na Espanha, ao mesmo tempo que investe na construção de um ponto de conexão logística em Lelystad, na Holanda. Juntos, esses dois novos CDs absorvem investimentos de cerca de € 1,5 milhão.

A experiência da Zara com realidade aumentada nos pontos de venda (ZaraAR) foi estendida para 130 das principais lojas da rede global, informa a empresa.

TAMANHO DA CADEIA DE FORNECIMENTO NO BRASIL
No mundo, a Inditex trabalha com 1.805 fornecedores e 6.959 fábricas, espalhados por 11 países. A maior parte está na Ásia, com 1.079 fornecedores e 3.087 fábricas, região seguida pela Europa (661 fornecedores e 3.739 fábricas). Na América Latina, as operações industriais estão concentradas no Brasil e na Argentina. São 15 fornecedores brasileiros com 65 fábricas. Apesar de ter apenas 11 lojas Zara, a Argentina conta com 45 fornecedores e 83 fábricas.