Zara e H&M continuam a perder valor

Zara e H&M continuam a perder valor

Em 2020, o ranking Best Global Brands, com as cem marcas mais valiosas do mundo, reflete a turbulência causada pela covid-19.

Zara e H&M continuam a perder valor

O ranking Best Global Brands, no qual a Interbrand lista as cem marcas mais valiosas do mundo, refletiu a turbulência causada pela pandemia de covid-19. Mesmo sob o efeito do coronavírus, com fechamento de lojas físicas no mercado global, Zara e H&M continuam a ser as únicas varejistas de moda do ranking, sem incluir as marcas de esportes e de luxo. Contudo, o surto da doença afetou o desempenho e as duas marcas perderam ainda mais valor do que vinha acontecendo desde 2017.

A Zara permanece à frente de H&M. Foi avaliada em US$ 14,8 bilhões, 13% a menos que em 2019. Caiu seis posições no ranking da Interbrand. Em 2020, é a 35ª Best Global Brand.

O valor da H&M atingiu US$ 14bilhões em 2020, queda de 14% sobre o ano anterior. Perdeu, assim, sete posições, ocupando o 37º lugar.

Assim como Zara e H&M, marcas de luxo também mostraram desvalorização. Já as marcas esportivas ficaram apreciadas, em parte atribuída ao ‘efeito covid’. O valor da Nike subiu 6%, para US$ 34,3 bilhões, colocando a marca na 15ª posição no ranking. O crescimento da Adidas foi mais modesto. Valorizou 1%, atingindo US$ 12 bilhões (#50).

TECNOLOGIA AINDA MAIS VALORIZADA

De maneira geral, a classificação das 100 Best Global Brands de 2020 retrata duas situações diferentes. Conforme a Interbrands, 43% das marcas tiveram valorização. Outros 57% diminuíram de valor em relação a 2019. “Em 2020, marcas fortes se tornaram mais fortes como resultado do ‘efeito covid’, que acelerou as tendências de transformação digital, como tecnologia baseada em nuvem e streaming, em todos os setores, reforçando o domínio das primeiras marcas de tecnologia. O crescimento médio de marcas em todo o ranking é de 14%, mas em tecnologia é de 20%. As três mais valiosas são marcas de tecnologia e cresceram em média 50%”, registra o relatório da consultoria sobre os resultados.

Apple é a marca mais valiosa do mundo, apreciada em US$322 bilhões, aumento de 38% sobre 2019. A Amazon ultrapassou a Google e assumiu o segundo lugar com US$200 bilhões, aumento de 60%. A Microsoft subiu para o terceiro lugar, valorizada em 53% e atingiu valor de mercado de US$166 bilhões.

Os novos participantes para 2020 também são de tecnologia, no segmento de mídias sociais. Incluem Instagram (#19, US$26 bilhões), YouTube (#30, US$17 bilhões) e Zoom (#100, US$4,4 bilhões).