TNS Nano obtém registro na Oeko-Tex

TNS Nano obtém registro na Oeko-Tex

Aditivo à base de prata da empresa recebeu a chancela Standard 100.

TNS Nano obtém registro na Oeko-Tex

!Atualizada

Como parte do esforço para ganhar participação no mercado de aditivos à base biológica com ação antimicrobiana, a TNS Nano obtém a certificação Oeko-Tex. “A TNS buscou a maior amplitude possível nas aplicações autorizadas para o aditivo, compreendendo todas as categorias descritas pela organização: desde os têxteis decorativos até aqueles destinados a contato íntimo com a pele — tanto de adultos como de bebês”, informou a empresa em comunicado distribuído à imprensa.

Obteve o registro Oeko-Tex de ACPs (Approved active chemical products) para as classes de produtos de I a IV. Com essa chancela, o produto da TNS à base de prata foi testado para substâncias nocivas, sendo considerado inofensivo para a saúde humana.

“A TNS agora garante a clientes a possibilidade de obtenção do selo, que se refere a tecidos com componentes avaliados em relação à incapacidade de serem nocivos à saúde humana, já que não são tóxicos”, acrescentou a empresa no comunicado.

Conforme a companhia, a solução se baseia na ação de nanopartículas de prata, com ação antiviral, bactericida e antifúngica. Pode ser aplicada em diferentes superfícies, como roupas, calçados e plásticos. No caso de vírus, inativa em 30 segundos depois do contato Resiste a 50 lavangens

A TNS tem laudo para H1N1 e Influenza, além de Herpes tipo I. Mas a ação valeria também para o Sars-CoV-2, disse a empresa ao GBLjeans em agosto do ano passado.

FÁBRICA GAÚCHA VAI USAR EM DUBLAGEM

De espectro amplo de aplicação, o aditivo para ação antiviral será adotado pela Dublauto, uma empresa especializada em serviços de dublagem em componentes de calçados, como couraças, cabedal, contrafortes, palmilhas, forros, e em artigos têxteis em geral. A empresa gaúcha já usa acabamento antiodor e antibacteriano.

O acordo para o acabamento antiviral é recente, informou a TNS Nano.

*A TNS retificou o comunicado enviado à imprensa. Para químicos têxteis o termo correto é registro na Oeko-Tex, e não certificação como originalmente informado. Dessa forma, não está enquadrada como Oeko-Tex Standard 100 como originalmente informado. A TNS recebeu o registro ACPs. O texto foi alterado para contemplar a retificação.