Vicunha propõe unir moda e proteção

Vicunha propõe unir moda e proteção

Em desfile transmitido pela web, empresa reúne 13 estilistas que mostram criações feitas com artigos da linha V.Tech Protective.

Em reação às mudanças trazidas pela covid-19, a Vicunha juntou seus tecidos funcionais dentro da linha V.Tech Protective. Para escapar da aplicação mais evidente em roupas profissionais, a Vicunha propõe unir moda com proteção. Reuniu 13 estilistas que mostraram suas criações em desfile transmitido pela web.

Em cena, apenas dois modelos: Mayumi Ishihara e Lucas Conceição, da Allure Models, que desfilaram pela pista central do showroom da empresa na capital paulista.

Nos bastidores, a produção de moda ficou a cargo da equipe da Vicunha. Além do apoio das equipes de stylist, camareira, beleza, fotografia e vídeo.

Conforme a empresa, a intenção com o desfile foi inspirar marcas “em como utilizar os artigos protetivos em suas criações”. Passaram pela tela 17 looks assinados por estilistas, criadores parceiros e pela própria Vicunha, explica o fabricante de denim e sarja.

Participaram La Garçonne, Another Place, Amapô, Caiu Toró, Diego Favaro, Daura, Igor Dadona, Isaac Silva, VIHE, Cartel 011 CZO, Jal Vieira, Uma e Das Hauss. São criações exclusivas, que privilegiaram peças atemporais e genderless, que consideraram aspectos de segurança sanitária, praticidade e conforto.

ROUPAS TRANSFORMADAS EM ESCUDO

“Entendemos que, neste momento, a função primordial da moda é diminuir o medo das pessoas em comprar e usar roupas. Estamos falando do surgimento de uma nova categoria de roupas, que funciona como um “escudo”, declarou German Alejandro, diretor comercial e de marketing da empresa para explicar por que a Vicunha propõe unir moda e proteção.

A linha V. Tech Protective reúne tecidos funcionais com propriedades antibacterianas, antivirais e repelentes, obtidas por processos diferentes de acabamento.

Um deles combina as funções antiviral e antibacteriana. Utiliza a tecnologia suíça HeiQ Viroblock, que neutraliza a ação de vírus envelopados, incluindo o SarS-CoV-2, responsável pela covid-19. “Além da rápida ação antiviral comprovada em laboratório, com redução de 99,9% dos vírus em apenas 1 minuto de contato, a tecnologia tem efeito também contra bactérias e fungos”, explica a Vicunha.

Para o antifluido, a empresa usou a tecnologia Zelan R3, daTeflon EcoElite. Evita que o tecido absorva líquidos. “Também previne a transmissão de partículas líquidas, não deixando que as mesmas entrem e saiam do tecido”, diz o comunicado da Vicunha.

Outro processo junta propriedades antifluido e antibacteriana. Dessa forma, controla odores pela tecnologia à base de íons de prata que interrompe o ciclo de reprodução da bactéria. A repelência é formada, nesse caso, por uma barreira construída à base de fluorcarbono.

GALERIA DE FOTOS

previous arrow
next arrow
previous arrownext arrow
Slider